Sobre MARKETING - MOTIVAÇÃO - INCENTIVO

EMPRESA DE MARKETING DE INCENTIVOS, PREMIAÇÕES, MEIOS DE PAGAMENTOS E PALESTRAS, COM SEDE PRÓPRIA NA CIDADE DE CAMPINAS. DESDE 2006 CAPACITANDO COLABORADORES E REDUZINDO CUSTOS DE EMPRESAS E COMÉRCIO. MILHARES DE PESSOAS, SOMENTE NO ANO PASSADO, PARTICIPARAM DE NOSSAS PALESTRAS MOTIVACIONAIS, EM DIVERSOS SEGMENTOS DO MERCADO. COMPROVE VOCÊ TAMBÉM COMO PODEMOS FAZER DIFERENÇA AOS SEUS NEGÓCIOS. VISITE TAMBÉM NOSSA PÁGINA (APRESENTAÇÃO): www.afxassessoria.com.br CONTATO: 19 3254-1112

“OBJETIVIDADE DA MOTIVAÇÃO”

COMO É DEFINIDA A MOTIVAÇÃO?

É um fator comportamental que pode ou não, ser um diferencial dos indivíduos e seus grupos. É fato que podemos estar momentaneamente empolgados por qualquer coisa, mas no meio empresarial e profissional, a motivação tem relevância quando estruturada, criada de forma a ser vivenciada e estimulada continuadamente. Por esta razão só acredito em motivação quando temos algo que a movimente (capacidade de transformar sonhos em planos, atitude para conduzi-los e persistência para identificar as variáveis que farão diferenças).

DE QUE MANEIRA A MOTIVAÇÃO EMPRESARIAL PODE AJUDAR NO AMBIENTE DA EMPRESA?

O principal fator é a gestão do tempo gerando agilização, qualidade e produtividade nas ações necessárias ao negócio. O principal resultado é o sentimento de cada colaborador da sua parte e utilidade dentro do grupo e dos processos que envolvem os resultados.

COSTUMA HAVER RESISTÊNCIA ÀS MUDANÇAS DE COMPOTAMENTO?

O medo é um grande inimigo das mudanças. Temos medo de fazer o novo, temos medo de errar, medo de participar, medo de perder o emprego e tanto medo acumulado faz com que muitas vezes fiquemos na defensiva, prejudicando a nós mesmos e ao próprio grupo aonde estamos alocados.

AFX ASSESSORIA

“CONJUNTO DE FATORES PSICOLÓGICOS DA MOTIVAÇÃO”

Considerações históricas:

    Os sistemas de crenças do homem primitivo eram tais que a motivação não constituía grande problema pois no início de sua história o comportamento era atribuído por forças ocultas, à espíritos ou demônios, que o animavam, ou seja, se o seu comportamento fosse socialmente aceitável dizia-se que era um bom espírito que estaria lhe guiando, caso não fosse socialmente aceito acreditava-se que a culpa era do mau espírito ou do demônio, sendo assim o espírito determinava a natureza do comportamento.
    É claro que o nome dessas força mudaram com o passar do tempo, mas mantendo o seu conceito estável, apesar de fazer pouca diferença se a ela se dava o nome de espírito, demônio, alma ou mente.
    Enquanto esses agentes forem considerados responsáveis pelo comportamento, a investigação científica da modificação do homem foi praticamente impossível. gradativamente os espíritos humanos começaram a desaparecer e acabaram sendo substituídos por novos conceitos.
    No início do século XX a motivação ganhou uma ênfase maior devido em parte aos esforços de Willian Mc Dougall, um cientista britânico do comportamento, fazendo com que esta motivação ganhe um espaço importante na psicologia.
    Mc Dougall chamava os motivos de instintos que para ele eram um processo biológico inato que predispunha o organismo a verificar estímulos especiais que respondiam à movimentos de aproximação ou evitação.
    Em 1908 Mc Dougall publicou uma lista que apresentava a curiosidade, repulsa, agressão, auto-afirmação, fuga, criação de filho, reprodução, fome, sociabilidade, aquisição e construtivismo. Esta lista fez com que muitos cientistas ficassem satisfeitos passando a citar literalmente vários instintos inclusive o de ser moral.
    Tornando-se claro que rotular cada ato como instinto ou motivação não era produtivo e contribuir com qualquer outra coisa.
    Nos tempos de hoje os psicólogos passam pouco tempo tentando identificar tipos determinados de motivos a maioria deles enfoca a descrição e sua explicação sobre as influências do comportamento motivado.

Classificação dos Motivos

IMPULSOS BÁSICOS: Estimulam comportamentos que visam satisfazer necessidades básicas, baseadas na Fisiologia. Exemplo: ar, água, sexo, evitação da dor( desprazer) e equilíbrio biológico interno( homeostase). Podem ser muito influenciados pela cultura ( experiência).

MOTIVOS SOCIAIS: Surgem para satisfazer as necessidades de sentir-se amado. Está intimamente ligado ao contato com outros seres humanos, isso é decisivo para o sucesso em ajustamento ( adaptação).

MOTIVOS PARA ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: As pessoas e outros animais precisam desta estimulação, que pode ser um estímulo externo( do meio) ou interno( auto-estimulação, como cantar de boca fechada, por exemplo). Sem esses estímulos, que são experiências sensoriais, os indivíduos alucinam, no intuito de gerar essa auto- estimulação.

MOTIVOS DE CRESCIMENTO: São os que levam os indivíduos ao aperfeiçoamento pessoal, sem se importarem com o reconhecimento. Acham-se intimamente ligados aos motivos de estimulação, exploração e manipulações sensoriais. O motivo de realização muitas vezes é considerado um motivo de crescimento.

IDÉIAS COMO MOTIVOS: As idéias podem ser intensamente motivadoras, proporcionando comportamentos motivados por sugestões, que podem até mesmo comprometer a integridade física do indivíduo. Essas idéias podem gerar conflitos, quando ocorre a dissonância cognitiva, mas geralmente as pessoas são motivadas a manterem suas cognições coerentes.

Universidade Veiga de Almeida

“MOTIVAÇÃO = EMPRESAS VENCEDORAS”

A motivação dos funcionários passou a ser estratégica. Já está provado que gente motivada trabalha mais feliz, torna o clima organizacional mais positivo, trata melhor os clientes e alcança melhores resultados. A motivação somente se torna possível e verdadeira em ambientes em que confiança e a lealdade estejam no centro das relações da empresa, ou seja, onde prevaleça a ética e o respeito mútuo entre as pessoas. É importante ressaltar que a organização que deseja motivar seus funcionários deve fazer um esforço contínuo para alinhar os objetivos das pessoas com as estratégias empresariais.

Hoje os funcionários querem mais o que seu salário no final do mês. Eles querem ser respeitados, ser tratados como pessoa e de maneira justa, ser ouvidos e necessitam de desafios que os façam crescer como seres humanos e como profissionais. Mas, o que acontece em inúmeras organizações é que os empresários, ainda não entenderam que de que de nada adianta tecnologia de ponta, se não houver gente disposta a atender bem os clientes, pessoas interessadas em reduzir os custos e obter resultados positivos para a empresa.

Não se constrói nada duradouro sem a integração da inteligência e das motivações, sem a contribuição criativa e solidária das pessoas. A competitividade e a lucratividade das empresas, hoje, não estão mais sendo decididas por máquinas ou pela tecnologia ou pela capacidade de produção, mas sim pelas pessoas que trabalham nas empresas.

A empresas com visão de futuro estão interessadíssimas em compreender as questões da motivação humana. Há uma verdadeira corrida para saber o que motiva as pessoas. Psicólogos, neurologistas, pesquisadores e administradores não param de buscar as respostas. Mas, uma coisa é certa: para haver a verdadeira motivação na empresa é preciso que cada funcionário acenda dentro de si a chama da auto-motivação, ou seja, descubra o que realmente faz sentido para eles. Não podemos nos auto-motivar sem estarmos emocionados, mobilizados para uma direção. A motivação implica movimento, mudança. 

M. Ávila

“MOTIVAÇÃO NÃO É UM SHOW DE HUMOR”

Opiniões divergentes sempre existirão. Por isso dizemos uma opinião, ou seja, a forma de um indivíduo expressar o que pensa e sente, não devendo ser julgado como errado e sim como alguém que apresenta um ponto de vista diferente dos demais, mesmo que ele seja a minoria ou até mesmo o único. Afinal, é a opinião dele.

Um amigo comentou que ninguém motiva ninguém. Respondi que compreendo a opinião dele, mas discordo parcialmente. Seja para se automotivar ou ser motivado a algo, o indivíduo precisa estar predisposto a realizar, mudar, a fazer diferença. Se alguém não demonstrar o mínimo interesse em melhorar e rever seus conceitos, nada fará com que se motive em relação a alguma coisa ou passe a ter mais iniciativa e pró-atividade e seja automotivado.

Há pessoas que dizem ainda: esse papo de motivação é coisa da moda, só oba-oba. Caso seja apenas uma moda é porque a população, principalmente a economicamente ativa está em busca de algo que lhe ofereça uma outra forma de superar seu cansaço intelectual, o desgaste físico e emocional e até mesmo, que faça com que saiba buscar novas formas de encarar seu trabalho, casa e filosofia de vida. Nascemos curiosos e buscamos conhecer tudo através dos cinco sentidos. Conforme crescemos, além de sermos automotivados a continuar nossas descobertas, somos motivados por nossos pais a não desistir, a acreditar, a lutar, etc. Podemos perceber então que a automotivação e motivação freqüentemente caminham juntas.

A automotivação é uma ferramenta interna de cada um, que colabora para que a pessoa se sinta predisposta a buscar o que acredita e deseja. Porém para ir de encontro a isso, são necessárias duas coisas simples: acreditar em algo e saber o que fazer para conseguir o que tanto almeja.

Obviamente encontramos alguns colegas mais radicais que afirmam: há palestrante aí, “DANDO SHOWZINHOS, PULANDO, GRITANDO e DANÇANDO, só para agitar o povo e dizer que é uma Palestra Motivacional”. Depois que a palestra acaba não acontece nada. Mais uma vez eu concordo, mas vale lembrar que há os bons profissionais e aqueles que se julgam assim.

Muitos confundem “Palestra Motivacional com um SHOW DE HUMOR”, outros se aproveitam do tema para chamar a atenção e vender seus serviços. Mas há aqueles que estudam, desenvolvem materiais com qualidade, dinâmicas produtivas, buscam compreender o comportamento do ser humano e o que os motiva, além de se inteirar de fatos corriqueiros das empresas em que os participantes trabalham e se informar sobre as cidades, culturas ou regiões em que se encontram, para não apenas motivá-los a fazer, buscar ou conquistar algo, mas principalmente, conseguir dar-lhes a oportunidade de entender que tudo é uma questão de escolha. Que cada um pode escolher ser automotivado, sabendo o que deseja, como e quando, para assim obter maiores possibilidades de realização e desenvolvimento profissional ou ser sempre despertado para algo. Alguma coisa que possa ser interessante hoje, amanhã, depois de amanhã, quem sabe… e por aí vai.

Discorrer sobre estes assuntos é bem complexo. Os valores pessoais de cada indivíduo são bem distintos. Cada um tem sua opinião e todas as opiniões devem ser respeitadas, afinal, como já mencionado, essa é a única forma de podermos expressar o que sentimos sem estarmos necessariamente errados.

Mas há um lado bom nisso tudo. É uma excelente oportunidade de mudarmos nossas opiniões ou a de outras pessoas, com uma boa e saudável argumentação. Seja sobre este tema ou qualquer outro.

W. Campos

“NADA É IMPOSSÍVEL”

Motivação é o conjunto de fatores que impulsionam o comportamento do ser humano ou de outros animais para realização de um objetivo. Manifesta-se como resposta a estímulos internos e externos. Os estímulos podem ser classificados em primários (básicos), que não são aprendidos e são comuns tanto aos animais quanto aos homens: fome, sede, impulso sexual, etc. e secundários, ou aprendidos, que diferem de animal para animal, e de pessoa pra pessoa: desejo de realização, de satisfação, de poder, etc.

Durante muito tempo, os filósofos identificaram nos desejos e necessidades do homem os elementos da personalidade. Foi, porém, a aplicação das teorias de Charles Darwin que fez progredir o estudo da motivação. Os pesquisadores descobriram duas importantes correlações entre as idéias de Darwin e a motivação: a primeira refere-se ao fato de que o homem, como membro do reino animal é parcialmente governado pelos instintos de sobrevivência e reprodução; a segunda mostra que, a exemplo do que ocorre com as características físicas, as características comportamentais humanas também podem ser analizadas do ponto de vista da evolução.

A mais importante motivação é a que vem do autoconhecimento. Quem conhece a si mesmo sabe que NADA É IMPOSSÍVEL.

Martin Claret (Empresário, Editor e Jornalista Brasileiro – 1928)

“PROFISSIONAIS MOTIVADOS, EQUIPES MOTIVADAS, EMPRESAS MOTIVADAS E INDÚSTRIAS MOTIVADAS”

O segredo para capitalizar a magia da motivação é simples: respeite os funcionários como indivíduos e trate-os como adultos. Muitas empresas acham que devem proteger dados e informações dos seus funcionários. Elas os tratam como crianças que não conseguem lidar com a verdade. Acham que devem proteger os funcionários da dura realidade do negócio. Isso NÃO FAZ SENTIDO ALGUM!

Se você quer que seus funcionários estejam motivados, que superem seus pares, que alcancem mais do que jamais alcançaram no passado, esteja permanentemente aberto e seja honesto com eles. Trate-os como adultos que são e não como crianças. Ouça seus funcionários. Avalie honestamente o que eles têm para dizer sem deixar que o seu ego atrapalhe. Você vai provavelmente aprender alguma coisa que vai beneficiar o seu negócio.

Alliance

“MOTIVAÇÃO EMPRESARIAL”

Motivação empresarial é, de certa forma, um assunto delicado. Ninguém motiva ninguém, na verdade. O máximo que podemos fazer é incentivar a outra pessoa a querer realizar aquilo que queremos que ela faça. E é isso o que ocorre nas empresas, administradores tentam fazer com que seus funcionários “sintam vontade” de fazer o seu trabalho, pois dessa forma aumenta-se a produtividade.

O que motiva os funcionários individualmente, no entanto, não é o mesmo que os motiva no trabalho. Muitos pesquisadores da área da motivação tiveram problemas no passado para chegar a uma conclusão sobre o que realmente motiva pessoas no trabalho, pois havia um conflito muito grande entre a motivação pessoal e a profissional.

A motivação pessoal é a força motriz dos vencedores do jogo da vida. Sentir-se motivado independentemente de fatores externos é o segredo das pessoas que atingem resultados. Essa motivação, no entanto, não pode ser ensinada ou incentivada por algo externo, não é possível motivar funcionários nesse nível. Há pessoas que jamais desenvolverão esse tipo de motivação intrínseca, elas não têm vontade para tanto. Tentar fazer com que funcionários desenvolvam algum tipo de automotivação é inútil. Pessoas automotivadas o são independentemente de incentivos e pessoas desmotivadas com a própria vida pessoal dificilmente saem dessa condição através de incentivos artificiais oferecidos pela empresa.

Palestras motivadoras, incentivos, bônus, etc. possuem efeitos muito curtos sobre a motivação de pessoal. Empresas como Semco, Microsoft, Google, HP oferecem aos seus funcionários, acima de tudo, um ambiente estimulante, em que o funcionário se sente parte do resultado.

A motivação no trabalho, para a grande maioria das pessoas, está desconectada da motivação pessoal. Contudo, garantindo que seu funcionário se sinta bem no trabalho, se sinta valorizado e respeitado, você estará dando razões para que, apesar de “preferir” estar em outro lugar (motivação intrínseca), o funcionário estará trabalhando com dedicação e orgulho. Quando o funcionário percebe que tem possibilidades de crescer na empresa e que seus esforços refletem diretamente no resultado, quando ele se sente respeitado e tratado com justiça por seus superiores, sua produtividade aumenta, não importando se sua verdadeira motivação está ligada ao trabalho ou não.

Fran Christy – Seattle, EUA – Escreve sobre desenvolvimento pessoal, produtividade e estratégias de vida.

“PALESTRAS MOTIVACIONAIS… MOTIVAM??”

Se você perguntar a um especialista em comportamento e motivação se uma palestra motivacional motiva alguém, a resposta será categórica: NÃO! Agora, se fizer a mesma pergunta para um Gerente de Vendas ou Empresário provavelmente você terá como resposta um categórico: SIM! Então, quem tem razão?

O fato é que uma palestra dita motivacional tem a intenção de gerar motivação ou um espírito de ânimo nos participantes, mas está longe de realmente motivar alguém. Para entender melhor vale pesquisar sobre os estudos do comportamento humano e concluir que o que uma palestra motivacional consegue fazer é “coceirinha” na motivação das pessoas.

Tome como princípio que a palestra motivacional é para gerar uma reflexão sobre o modo como percebemos e agimos. Serve como um despertar interno. Algo como um “tapa na cara” para acordar e lembrar que o único responsável pelo o que acontece em nossas vidas é cada um de nós.

Não existe esta idéia de que alguém tem o poder supremo de motivar uma pessoa a fazer alguma coisa. A motivação é um fator pessoal, intrínsico, de cada indivíduo. Portanto, não se pode motivar ninguém. O máximo que se consegue é despertar os motivos para que a pessoa faça alguma coisa.

As palestras motivacionais são importantes, pois ajudam as pessoas nas organizações a fazerem uma pausa para reflexão pessoal. Aqueles que conseguem entender que a palestra em si não é suficiente fará grandes avanços individuais. Provavelmente será promovido e crescerá na organização e fora dela.

AFX ASSESSORIA

“VOCÊ É CAPAZ”

Imagem

Em nossas vidas encontramos muitas pessoas que nos desencorajam de nossos sonhos ou mesmo de pequenos desejos, pequenas ambições. Seja para nos proteger ou por não nos acharem capazes de realizar determinado desejo, elas tentam fazer com que desistamos sem ao menos tentar. Cabe a nós decidir-mos se devemos escutar aqueles que não acreditam em nossa capacidade ou escutar a força do nosso desejo.

Uma estória conta que  duas crianças estavam patinando em cima de um lago congelado.

Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam sem preocupação.
De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu na água.
A outra criança vendo que seu amiguinho se afogava de baixo do gelo, pegou uma pedra e começou a golpear com todas as suas forças, conseguindo quebrá-lo e salvar seu amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que você tenha quebrado o gelo com essa pedra e suas mãos tão pequenas…
Nesse instante apareceu um ancião e disse:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Como?
O ancião respondeu:
- Não havia ninguém ao seu redor para dizer-lhe que ele NÃO seria capaz de fazer…

S. SUCESSO

“4 ERROS FATAIS PARA SUA EMPRESA”

Imagem

Empreendedores com conhecimento sobre finanças têm vantagem na hora de gerenciar um negócio. Saber calcular a margem de lucro, administrar bem os fluxos de caixa e organizar as contas da empresa são tarefas indispensáveis para que pequenas empresas não fiquem no vermelho. Confira abaixo os principais erros que os empreendedores cometem.

1. Não saber o quanto cobrar

Determinar o preço correto do produto ou serviço é fundamental para um negócio. As empresas não têm como cobrar um preço diferente do mercado, mas existe uma liberdade para cobrar preços diferenciados em mercados de concorrência imperfeita. Cobrar um preço alto resulta em baixas vendas, mas preços muito baixos representam também perda de lucro.

Muitos empresários acham que o preço de um produto nada mais é que uma margem de lucro em cima dos custos de produção, mas a forma correta de determinar o preço a ser cobrado por um produto envolve medir o quanto os consumidores estão dispostos a pagar. Várias empresas, como Apple e Ford, mantêm estratégias de preços que se baseiam na demanda e não somente nos custos de produção.

2. Achar que o olho do dono engorda o gado

A ideia de que um negócio só pode ser bem gerido se o dono estiver presente a todo momento torna o empresário refém do próprio negócio. Férias, família e lazer ficam em segundo plano, e a prioridade passa a ser somente a empresa, com custos, vendas e problemas do dia-a-dia consumindo o tempo e a mente do empreendedor.

O ideal é que o empresário saiba investir em mecanismos de controle, gestão e monitoramento que permitam que a empresa sobreviva sem a sua presença. No começo do empreendimento, a dedicação do empresário vai ser intensa, mas à medida que a empresa se sofistica deve conseguir caminhar com as próprias pernas.

3. Ter medo do crescimento

Muitos pequenos empresários consideram que o crescimento é arriscado e tendem a ser cautelosos em investir na expansão dos seus negócios. Essa timidez em relação ao crescimento revela uma aversão ao risco que é pouco condizente com o espírito empreendedor, e tem duas origens: a necessidade de controlar todos os processos da empresa e o medo de enfrentar o desafio de lidar com as dores do crescimento. Muitos perdem oportunidades de negócios por não querer lidar com os desafios de um crescimento acelerado.

4. Falta de profissionalização

Certa vez, a esposa do fundador de uma empresa e gerente financeira revelou, orgulhosa, que todas as contas da empresa estavam na sua cabeça e que ela conseguia gerenciar os fluxos de pagamentos e recebimentos da companhia, que faturava mais de 40 milhões de reais ao ano, usando um caderno. Este não é o único e talvez nem seja o pior caso de falta de profissionalização em empresas de pequeno e médio porte.

A relutância em remunerar bons profissionais e de colocar em prática sistemas profissionais de gestão, o atraso no pagamento de tributos e a falta de indicadores financeiros e sistemas de informação adequados são sintomas claros de uma empresa mal administrada. Uma companhia deste tipo pode até ser bem-sucedida, mas certamente a profissionalização empresarial resultaria em uma maior probabilidade de sucesso e resultados.

Exame

By FaceBook – José Francisco Galvão Jr.

“AS 10 CAUSAS MAIS COMUNS PARA O FRACASSO DE UMA EMPRESA”

Imagem

Como já sabemos, é mais inteligente atuar na causa, do que no efeito.Confira abaixo algumas das causas mais comuns do fracasso e aja sobre elas.

1. O velho truque de pôr a culpa nos outros: Você é daqueles que tem sempre um belo discurso para se esquivar? Cuidado.

2. O oposto da 1ª causa. A tendência imediata a se culpar e se rebaixar: A auto piedade gera auto censura que gera auto desprezo.

3. Não ter objetivos: A pergunta é: quando começaremos a viver como se compreendêssemos a urgência da vida?

4. Escolher objetivos errados: Fazer isso é dedicar esforços e orientar toda sua vida em função de algo que não se realizará.

5. O atalho: São muitas as formas de ceder à tentação e seguir pelo caminho aparentemente mais fácil e não fazer o necessário.

6. Escolher uma estrada longa demais: Não ver a linha de chegada pode desanimar e cansar, por isso planeje a rota antes.

7. Negligenciar pequenas coisas: A falta de atenção aos detalhes põe abaixo grandes obras.

8. Desistir cedo demais: Os homens não falham, eles desistem de tentar. Não pare em qualquer topada.

9. O fardo do passado: As crenças e padrões do passado continuarão cobrando o preço caso você não se resolva.

10. A ilusão do sucesso: O momento mais perigoso vem com a vitória. Com ela, vem a negligência e falta de concentração fatais.

Exame

By FaceBook – José Francisco Galvão Jr.

“MOTIVAÇÃO, INCENTIVO, PREMIAÇÃO E MEIOS DE PAGAMENTOS”

Destacado

EMPRESA CRIADA EM 2006, NA CIDADE DE CAMPINAS, COM O OBJETIVO DE TRAZER MAIS LUCRATIVIDADE COM A CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DE SEUS COLABORADORES E UMA SIGNIFICATIVA DIMINUIÇÃO NOS CUSTOS DE EMPRESAS.
TEMOS AS FERRAMENTAS CERTAS PARA QUE ESTE CONJUNTO DE AÇÕES, FORMADO PELA EQUIPE DA AFX ASSESSORIA, SEJA APLICADO E USADO PARA QUE SEUS NEGÓCIOS E COLABORADORES CRESÇAM EM MOTIVAÇÃO E PRODUTIVIDADE.
CONSULTE TAMBÉM NOSSA PÁGINA: http://www.afxassessoria.com.br

“A ARTE DE UM BOM PLANO MOTIVACIONAL”

Imagem

Você elabora planos motivacionais com freqüência? Tem conseguido bons resultados? Saiba que resultados otimizados com ações motivacionais só ocorrem quando alguns cuidados básicos são observados.

A motivação é um fenômeno psicológico. O ser humano vive em busca de experiências. Seja ela subjetiva, como amar e ter uma carreira profissional de sucesso ou experiências objetivas, como os cuidados físicos e independência financeira. Em quase tudo sempre haverá uma questão humana determinante. Pode ser uma atitude, uma crença, uma insatisfação, comportamento, etc. que, de fato, funcionará como o fiel da balança entre o triunfo ou fracasso da missão.

Podemos considerar que a motivação é a mola propulsora para a realização otimizada de qualquer processo. Um time depende da sinergia do grupo para fazer a diferença. Ter um bom motivo para ação pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso do projeto. Se formos buscar a origem da palavra motivação, vamos constatar que vem do latim motivus, que significar mover. Ou seja, mover para fazer alguma coisa.

AFX ASSESSORIA

“OS 10 MANDAMENTOS DA MOTIVAÇÃO”

Imagem 

Abaixo os 10 mandamentos da motivação, todos são importantes e se interligam. Confira:

1. NÃO SEJA UM PROCRASTINADOR: Não adie as tarefas de hoje. Também não adie suas decisões. Faça isso por você. Evite acumular afazeres, pois alguns tentam dedicar-se a muitas coisas ao mesmo tempo, além de estressante é um convite para o fracasso.

2. COMECE ALGO E TERMINE: Se você começar algo, termine, a menos que o sentimento de frustração seja bom pra você.

3. CONFIE EM VOCÊ MESMO: Há ocasiões que o segredo do êxito é apenas “confiar no seu taco” e ter “bala na agulha”,  Todos possuem os recursos que necessitam, basta acessá-los. Fale em alta voz: Sim, eu posso… Eu me permito… Eu vou.

4. VALORIZE O QUE REALMENTE IMPORTA: Defina suas metas, suas prioridades e valores. Equilibre seu tempo, não viva só para o trabalho, por exemplo. Desfrute de momentos felizes ao lado de seus familiares. Pratique atividades físicas, leia bons livros, ouça boas músicas, exercite a sua fé.

5. TENHA GRANDES PLANOS: Você quer ser grande? Ande com os grandes! Quer ter grandes realizações e sucesso? Tenha objetivos e metas, e corra atrás… Não seja medíocre!

6. AGRADEÇA SEMPRE: Pense nisso: “Sempre reclamei dos meus sapatos, até que um dia, ao dobrar uma esquina, avistei um homem sentado sem os dois pés.” Reveja seus conceitos de necessidades.

7. AME-SE MUITO: O maior amor que podemos sentir é o amor próprio. Este sentimento profundo a cerca de nós mesmos nos fará amar incondicionalmente o próximo. Quando temos uma boa autoestima nossos relacionamentos são mais saudáveis.

8. NÃO TENHA MEDO DE FRACASSAR: O fracasso é uma ação, não é uma pessoa… É apenas uma oportunidade de fazer diferente, de recomeçar de outra forma, portanto, mesmo que você caia, levante-se com classe, e saiba que os tombos te ensinarão novas manobras.

9. SEJA DISCIPLINADO: Nem sempre é possível fazer o que se quer. Nem todos ganham o quanto gostariam ou fazem o que sabem e/ou amam. Disciplina é plantar pra colher, só que o plantio é árduo. A disciplina transformou um camelô num dos maiores empreendedores do mundo.

10. PERSISTA, PERSISTA…: Olhe para seu alvo, fixe os olhos nele e prossiga até tocá-lo. Será fácil? É bem provável que não, mas ainda que você seja surrado, não seja nocauteado. Fomos criados para sonhar e são eles (os sonhos) que abastecem a nossa alma. Não venda os seus sonhos, não desista deles, não deixem roubá-lo de você.

Comunicação & Comportamento  

“A MORTALIDADE DE UMA EMPRESA”

(Trecho da matéria)

…Dados do Sebrae apontam que quase a metade das micro e pequenas empresas do Brasil não chegam a completar dois anos de existência e fecham as portas. Dentre os principais fatores que contribuem para esta mortalidade precoce estão: burocracia e tributação excessivas, as dificuldades de acesso a créditos e a falta de planejamento, motivação e incentivos. Esses problemas devem ser analisados atentamente pelos empresários.

Além disso, quem atua no campo corporativo sabe que outro item deve ser levado em consideração: a falência motivacional dos profissionais. Afinal, sem colaboradores comprometidos com o negócio e que “vistam a camisa da empresa”, não há organização que sobreviva por muito tempo. Diante disso, as companhias criam ações “próprias” que objetivam motivar as pessoas, mas nem sempre os resultados são satisfatórios e todo o investimento de tempo e dinheiro vai “ralo abaixo”…

P. Brito

“PROFISSIONAIS MOTIVADOS, EMPRESAS DESENVOLVIDAS”

Imagem

Aumento salarial, benefícios ou um ambiente de trabalho agradável? Antigamente pensava-se que apenas o retorno financeiro pudesse trazer felicidade e satisfação ao profissional, no entanto, nos dias de hoje muitos optam por qualidade de vida, e entendem que de nada adianta ter um bom salário se o relacionamento na empresa não for agradável, ou se o trabalho e a vida pessoal não estiverem em equilíbrio. Mas afinal, qual a melhor forma de motivar os colaboradores?

A motivação é o primeiro passo para o sucesso da organização. Funcionários satisfeitos com seu trabalho e que se sentem respeitados e reconhecidos por aquilo que desenvolvem tornam-se parceiros de negócio, fazem muito além do que as suas obrigações e se preocupam com o andamento da empresa. Todos precisam estar motivados! Mas para que isso aconteça, a própria organização deve se preocupar com o bem estar de seus colaboradores e oferecer condições favoráveis de trabalho, o fundamental é ter uma gestão competente de pessoas Motivadas, Incentivadas e um bom relacionamento dentro da empresa.

Se você perguntar por que as pessoas saem da empresa hoje em dia, 90% é por causa de mau relacionamento com o chefe Desmotivado. Não é por conta do salário, não é por falta de beneficio, e não é por nada relacionado a isso. Então a grande motivação e incentivo dos funcionários, atualmente, é uma liderança extremamente preparada e desenvolvida, pois isso sim os retêm assustadoramente na empresa.

AFX ASSESSORIA

“O IDEAL SERIA A EMPRESA MOTIVAR E INCENTIVAR SEU COLABORADOR”

Muitas vezes, por causa da rotina de trabalho, profissionais apontam não encontrar tempo para realizarem treinamentos para sua atualização profissional. Tal condição pode prejudicar a carreira, uma vez que o trabalhador que não se atualiza fica obsoleto no mercado e não consegue novas oportunidades pela falta de preparo.

É importante que sempre que se sentir desatualizado o profissional procure treinamentos que possam qualificá-lo, pois esta atitude resultará em várias conveniências. A qualificação pode ser uma excelente oportunidade para buscar novos desafios ou até mesmo crescer na carreira. Ela é muito importante não apenas para se atualizar, mas também para sair do ambiente de trabalho tradicional e ter novos insights e conhecer novos profissionais.

Segundo os especialistas em Recusos Humanos e gestão de capital humano, sempre que um profissional perceber que está desatualizado deve buscar a qualificação, sem precisar esperar que a empresa na qual trabalha ofereça um treinamento. O crescimento é dele e seguirá com ele, mesmo que seja em outra empresa.

A pesquisa O retrato do treinamento no Brasil (Pesquisa Anual da ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento) e MOT (Mudanças Organizacionais e Treinamento), aponta que vários profissionais já estão preocupados com isso. De acordo com o estudo, 27% dos colaboradores das empresas que responderam à pesquisa, participaram de alguma forma do custeio das ações de treinamento.

Sendo que o ideal seria a própria Empresa dar estas oportunidades aos seus colaboradores, pois,  profissionais treinados, motivados e incentivados, não esta fácil de se encontrar no mercado.

AFX ASSESSORIA

“STEPHEN HAWKING, EXEMPLO DE SUPERAÇÃO, INCENTIVO E MOTIVAÇÃO”

Imagem

O renomado físico Stephen Hawking foi uma das atrações da cerimônia de abertura dos Jogos Paraolímpicos de Londres nesta quarta-feira. O cientista britânico atuou como narrador de um dos trechos da festa agendada para 17h (de Brasília) no estádio Olímpico, “Incentivando e Motivando” os atletas Paraolímpicos.

Hawking vai narrar uma jornada através da história, com ênfase em descobertas científicas e avanços culturais do século 18.

Aos 70 anos, Hawking é considerado um dos nomes mais importantes da física nos últimos tempos. O cientista sofre de esclerose lateral amiotrófica e, desde 1985, quando se submeteu a uma traqueotomia, se comunica com uma voz robótica que é gerada por computador.

UOL

“SEM DISPUTAS E COMPETIÇÕES”

Imagem

(Trecho da matéria)

Cada um disputar espaço com o colega pode trazer frustração e piorar o clima no trabalho

…Em ambientes corporativos extremamente concorridos, com metas a cumprir em prazos recorde, e onde não há brecha para falhas, nada melhor para a empresa do que estimular a competição entre seus empregados, certo?

Em termos. A pesquisa “O Ranking da Motivação no Trabalho”, desmonta a ideia de que promover a competição é sempre o melhor negócio para o gestor que pretende tirar o máximo de seus subordinados. Embora seja a principal força motriz de profissionais em posições que exigem agressividade, como os executivos, é rejeitada por boa parte dos funcionários, especialmente dos setores de recursos humanos, comercial e administrativo…

C. Jordão – ISTOÉ

“OS TIPOS DE AÇÕES QUE NOS MOTIVAM NA VIDA”

Imagem

Quando nos empenhamos em termos uma visão sobre o futuro, podemos alcançar um significado mais positivo para o nosso dia-a-dia, alimentando pensamentos e idéias futuras, cria-se um caminho para o sucesso, as ações pessoais passam a ter sentido à medida que organizamos nossas ambições e nossos sonhos. É fundamental alimentarmos idéias, buscar novos ideais para encontrarmos tal MOTIVAÇÃO! 

O sonho é o primeiro passo para a concretização dos objetivos. À medida que estes sonhos começam a ser projetados em nossas mentes, criamos condições favoráveis para vivermos motivados para realmente alcançá-los. Desta maneira, para encontrar a devida MOTIVAÇÃO para o dia-a-dia, é preciso ter projetos sobre o futuro, uma visão significativa e mais clara aonde se quer chegar com a própria vida, tendo um sentido maior que faça a diferença para si próprio, buscando continuamente determinação, motivação pessoal, foco no sucesso pretendido, aliados a um sentido de ação, tornando-se a visão de futuro em um resultado que impulsionará a realizar, a agir, a crescer, a trabalhar, a fazer, enfim, viver. A MOTIVAÇÃO é um fator intrínseco ao ser humano e influenciado por fatores externos, é a capacidade de pensar positivamente sobre seu futuro.

A. Martins

“COMO PREMIAR UM COLABORADOR QUE CUMPRE SUAS METAS?”

Imagem

Como premiar?

Mais do que dinheiro, hoje em dia, os colaboradores estão buscando benefícios que agreguem valores, como mais tempo com a família ou, até mesmo, alguns dias de folga para realização de viagens, cursos ou congressos.

Para que a meritocracia tenha o efeito desejado para as duas partes, é interessante o diálogo entre todos os envolvidos, “incentivamos os colaboradores com reconhecimento, aceitação e promoção de carreira. Não necessariamente trabalhamos com benefício em dinheiro. O reconhecimento de um trabalho diferenciado traz status e a alegria de um trabalho bem feito, que cresce junto com a organização”.

Algumas empresas traçam as metas atreladas ao retorno financeiro, fazendo com que os funcionários participem dos lucros anuais da empresa ou criando eventos diferenciados, por exemplo, custeando uma viagem para todos os colaboradores, “consideramos que os pilares do programa são: avaliação periódica, transparência nas informações e nos objetivos, aliados ao constante feedback”.

AFX ASSESSORIA

“MOTIVAÇÃO NA CARREIRA PROFISSIONAL”

Imagem

O retorno financeiro há tempos não é o fator que mais influencia na MOTIVAÇÃO de um profissional. O mercado de trabalho está cada vez mais dinâmico e fatores como desafios e o desenvolvimento na carreira impulsionam muito mais os indivíduos a alcançar resultados. A empresa tem responsabilidade direta neste processo motivacional quando falamos de visão de futuro da organização e objetivos dentro de uma trajetória profissional. A motivação está muito ligada aos anseios, desejos, sonhos e objetivos do profissional.

De acordo com a Pesquisa dos Executivos, realizada com mais de 46 mil respondentes, os fatores que mais motivam os profissionais em suas carreiras (em uma escala de 0 a 10) são o bom relacionamento com as pessoas do trabalho, reconhecimento como bom profissional e fazer o que gosta:

CARREIRA & SUCESSO

“CRESCE PROCURA POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS”

Imagem

O mercado de trabalho está aquecido para quase todos os setores no Brasil. Mas alguns deles contam com a tarefa adicional de encontrar uma mão-de-obra escassa. Com R$ 10 bilhões de incentivos governamentais programados para este ano, esse é o caso da área de inovação. Encontrar profissionais para identificar, desenvolver e justificar projetos virou um desafio para empresas e consultorias. O último relatório do Ministério de Ciência e Tecnologia, por exemplo, aponta um crescimento de 25% no número de empresas que solicitaram benefícios para investir no desenvolvimento de novos produtos e projetos no País.

Uma empresa francesa, recém-chegada no Brasil, vai abrir 70 postos de trabalho neste ano e já enfrenta dificuldades para preencher as vagas. Especializada em obter financiamento para inovação, a empresa procura, sobretudo, consultores formados em engenharia. “Na França, por exemplo, esta empresa conta com 180 PHDs”, explica o diretor no Brasil.

Recente pesquisa mostrou que quase 80% das grandes empresas brasileiras vão investir em inovação e, pelo menos, a metade pretende utilizar “incentivos e motivações”, o que faz a procura por profissionais especializados aumentar além das consultorias. O setor é atraente para os novos profissionais. O salário médio inicial para essas vagas é de R$ 5.000,00, mais um pacote de benefícios e remuneração variável.

AFX ASSESSORIA

“EMPRESAS PROCURAM POR PROFISSIONAIS APOSENTADOS”

Imagem

(Trechos da matéria)

…Pesquisa feita pela consultoria de recursos humanos Hays, aponta que 20% das companhias contratam profissionais aposentados. Desse total, 75% para cargos técnicos, 33% para a diretoria e 28% para a gerência. O motivo: falta de mão de obra qualificada, redução de custos e, principalmente, amplo conhecimento técnico.

“É comum as empresas, por questões estratégicas, optarem por trocar dois profissionais juniores por um sênior, que trará mais expertise para o negócio. Principalmente quando a companhia passa por um período de contenção de gastos e que precisa dar uma guinada no mercado”, comenta o gerente de expertise da Hays, André Magro.

Segundo o especialista, principalmente as áreas técnicas como de engenharia e de finanças e comercial estão bastante interessadas nesse público. Magro estima que o mercado ficará ainda mais aquecido para os profissionais com mais de 60 anos nos próximos oito anos por causa do aumento da demanda.

“Com a situação econômica favorável ao Brasil, muitas empresas estão trazendo novos projetos para o País. E são projetos de longo prazo, que necessitam de mais gente. E mesmo com o volume de profissionais que se forma todos os anos nas universidades, haverá um déficit de mão de obra. Por isso, os aposentados e seniores serão muito requisitado. Além de dominarem perfeitamente a sua área, trazem resultados imediatos à corporação. Muitos, inclusive, voltam ao mercado como consultores”…

M. Rodrigues – O ESTADO DE S.PAULO

“ATITUDES QUE MAIS INCOMODAM OS CHEFES E ATRAPALHAM TODA A EQUIPE”

Qualificação e um bom currículo não são mais sinônimos de uma carreira de sucesso. Cada vez mais, as empresas estão atentas ao comportamento dos profissionais. Pesquisa realizada com 46 mil profissionais de empresas de todo o Brasil revelou que 80% das demissões foram causadas por problemas de relacionamento em geral.

De acordo com a pesquisa, 24,2% dos profissionais ouvidos foram demitidos porque não conseguiram os resultados desejados; 20,5% eram tecnicamente incompetentes, não sabiam supervisionar ou não eram dinâmicos; 13,3% não se relacionavam bem com o grupo ou com o chefe; e 10,5% chegavam atrasados com frequencia ou faltavam ao trabalho.

Lista das principais atitudes que podem prejudicar o profissional: fofoca, falta de cooperação entre os setores, desânimo e falta de MOTIVAÇÃO, formação de “panelinha” e falta de iniciativa.

As empresas estão inovando para integrar as equipes. No interior de São Paulo, uma empresa evita as conversas paralelas e a fofoca com uma medida simples e objetiva: o “café com o responsável”, uma reunião onde funcionários podem reclamar e dar sugestões aos superiores. A empresa dá retorno sobre todas as queixas.

M. Kamia - JH

“A DESMOTIVAÇÃO PODE LEVAR A CONSEQUÊNCIAS SÉRIAS”

Imagem

Participação de São Paulo no mercado de trabalho é a menor em dez anos.

(Trechos da matéria)

…A participação da economia paulista na criação de empregos no primeiro semestre foi a menor para o período em dez anos. O Estado de São Paulo foi responsável por 32,1% do saldo de vagas do Brasil, que contabilizou 1.047.914 postos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em 2002, a participação de São Paulo no primeiro semestre foi de 40% dos quase 762 mil empregos criados no Brasil. Em 2006, no auge, chegou a 45,6%.

O peso de São Paulo caiu este ano sobretudo por causa da crise enfrentada pela indústria. Como o Estado concentra boa parte da produção industrial, sofre mais com a desaceleração do setor. Segundo o Caged, no primeiro semestre, o saldo do emprego da indústria no Brasil foi 127,5 mil mais baixo do que o verificado no mesmo período de 2011…

L. Gerbelli – O ESTADA DE S. PAULO

“MOTIVAR, INCENTIVAR E CAPACITAR, ESTA É A PROPOSTA DA AFX ASSESSORIA”

Imagem

PERMISSÃO DE TRABALHO ESTRANGEIRO SOBE 24%…

(Trechos da matéria)

…Visto como um país resistente a impactos da crise internacional e com gargalos de mão de obra, o Brasil vem sendo um polo de atração para profissionais de outras nações. O volume de autorizações de trabalho de estrangeiros subiu 24% no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2011, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com o levantamento, 32.913 profissionais obtiveram permissão para atuar no País na primeira metade deste ano, das quais 29.065 são temporárias e 3.848, permanentes. De janeiro a junho de 2011, o total foi de 26.545 concessões. O levantamento do Ministério do Trabalho detalha o perfil dos profissionais que chegam ao Brasil. Do total das 32.913 autorizações concedidas no período, mais de metade (17.487) foi para trabalhadores com nível superior completo…

C. Froufe- O ESTADO DE S.PAULO

“TÉDIO NÃO É DEPRESSÃO… É FALTA DE MOTIVAÇÃO”

Imagem

Tédio não é depressão. Respondo aqui a vários emails de pessoas que se sentem entediadas, porém acreditam que estejam com depressão. Quando a curiosidade some e quando a imaginação não é mobilizada em nossa mente, o tédio ganha terreno. Na vida que vivemos atualmente com tanta solicitação, tanto incentivo ao consumo, tão pouco incentivo ao desenvolvimento cultural e ao exercício da sensibilidade, é difícil não se sentir, um momento ou outro, entendiado. Tenho uma amiga de infância que luta contra o câncer há mais de 10 anos. Uma sobrevivente pelo otimismo: quando venceu o terceiro câncer, voou de asa delta com 60 anos. Ontem me enviou sua primeira aquarela, muito boa por sinal, aos 63, creio. Ainda seleciona coisas interessantes pela internet e manda para os amigos. Reinventar o cotidiano é uma coisa que o cérebro pode fazer com relativa facilidade. Temos acervos de memória: nem é preciso ir muito longe. Não há muito segredo, todo ser humano precisa ser autor de alguma coisa na vida, não apenas consumidor.

By FaceBook – Raquel Maradei

“MULHERES REAGEM MELHOR À CRISE ECONÔMICA”

Imagem

Que a crise econômica provoca efeitos negativos na vida das pessoas não há dúvida. Mas a forma com a qual se enfrentam os tempos de recessão pode variar muito entre homens e mulheres. Pesquisas recentes têm apontado que profissionais do sexo feminino reagem melhor do que os colegas do sexo aposto no que diz respeito ao desemprego, desempenho no trabalho e até suicídio.

De acordo com um artigo publicado este mês pelo British Medical Journal, a cada aumento de 10% na taxa de desemprego entre os homens, há um crescimento de 1,4% nos índices de suicídio entre eles. O mesmo não acontece com as mulheres que, historicamente, apresentam uma relação bem inferior entre desemprego e suicídios. O estudo sugere que elas costumam resistir melhor a períodos de instabilidade e de crise por serem mais flexíveis e se adaptarem melhor a alternativas. “Quando perdem o emprego, as mulheres costumam procurar outro mais rapidamente e sem tanta resistência”, diz Gale Summerfield, pesquisador da Universidade de Illinois.

Outro fator importante é que, no geral, as mulheres costumam se concentrar mais na área de serviços –  trabalho com crianças, limpeza e cozinha, por exemplo – setor menos afetado pela crise. Além disso, elas apresentam uma média de tempo de dedicação aos estudos maior que a dos homens.

Uma pesquisa realizada pela National Federation of Independent Business em parceria com o Center for Women’s Business Research afirma que as mulheres também se destacam no mercado empresarial. Observou-se que, durante a recessão, mais da metade das empresárias conseguiu aumentar o corpo de funcionários de suas companhias. 

Outra pesquisa, desta vez da consultora Bain & Company, concluiu que crises econômicas aumentam a probabilidade de as mulheres alcançarem posições mais altas de liderança. Elas costumam permanecer mais tempo nas empresas do que os homens, o que facilita sua ascensão profissional dentro das companhias. As principais aliadas das mulheres no mercado de trabalho são sua flexibilidade e aptidão para colaborar e se adaptar a novas situações.

ÉPOCA